O Futuro do Facilities

Futuro do Facilities

Qual é o futuro do Facilities. O que hoje empresas e marcas usam como diferencial, daqui a alguns anos não será mais. A tecnologia será tão comum para a eficiência de processos, prevenção e solução de questões rotineiras que quem não se adaptar, será deixado de lado

A nossa sociedade é volátil, complexa, ambígua e cheio de incertezas. Se pararmos para falar sobre a rapidez da evolução tecnológica, ela é absurda. Afinal, alguém em 2011 imaginava empresas sólidas como a Uber ou o conceito sobre Internet das Coisas em plena ascensão?” 

Imagine que se não imaginávamos o que iria acontecer nos último anos, o que então acontecerá daqui a 5 ou 10 anos?

Millenium Urbano: a era das Megacidades​

  • O crescimento da população: rumo a 9 bilhões​;
  • Pela primeira vez na história mais de 50% de todas as pessoas vivem em cidades;​
  • No Brasil 87% vivem em cidades, e deverá aumentar para 90%.

Desafio Global de infraestrutura

  • McKinsey, empresa de consultoria empresarial americana, estima a necessidade de investir cerca de US $ 57 trilhões em infraestrutura para acompanhar o crescimento do PIB previsto para 2030 ou seja, 60% mais do que nos últimos 18 anos;
  • Os gastos com construção global vão crescer de US $ 6 trilhões ao ano hoje para quase US $ 9 trilhões por ano até 2020 segundo o Departamento de Estado dos EUA). ​

Com isso, existe a necessidade de melhor capacitação e de se repensar o ecossistema geral. indústria 4.0 hoje possui máquinas com sensores, que permitem a manutenção preventiva, sem deixar que ocorram quedas e paradas. E isso é uma tendência.

Outro ponto de destaque é que haverá “menos servidão e mais colaboração”. O grande diferencial no futuro será a humanização. O entendimento do cliente e da empresa pelo o que eles passam, não depende das máquinas ainda, mas sim dos Gestores.

Sociedade está mais colaborativa

Um bom caminho é “compartilhar soluções e não discutir problemas”. Isso é fundamental para a geração de valor. 

Como profissional de serviços, o Gestor vai precisar mostrar o valor de suas ações. A relação entre o profissional de Facilities e a empresa deverá ser mais ampla, de forma colaborativa.

O papel do Gestor de Facilities será completamente estratégico. Ele precisa saber o plano da empresa, a curto ou a longo prazo. Saber sobre o engajamento da equipe, fornecedores, e tudo mais.

Compartilhar é uma tendência global que oferecerá mais valor na profissão. Seja em serviços ou em eventos colaborativos como estamos fazendo aqui, onde trocamos ideias ou apresentamos melhores práticas, o compartilhamento é essencial. É assim que a gente se aperfeiçoa, nos inspiramos para fazer o novo, e nos desafiamos na solução dos problemas que surgem.

O mundo está cada vez mais digital, em rápida e constante evolução. Sendo assim o Profissional de FM possui um papel cada vez mais relevante e estratégico nas organizações.​

Em um cenário onde tudo pode e vai ser monitorado, IA, IoT, Analytics serão ferramentas cada vez mais acessíveis. Informações que antes tinham que ser buscadas virão para que este profissional crie a proposta de valor em um ambiente de constantes mudanças.​

O futuro do Facilities e do Profissional de FM, além de ser estratégico, terá uma função ainda mais relevante que é a de humanizar estes ambientes, com a capacidade e sensibilidade que sensores e sistemas ainda não atingiram.

O que achou sobre o tema sobre o Futuro do Facilities? Deixe aqui seu comentário.

Fonte: ABRAFAC – Walter Palacio, CEO e Managing Partner da CORE WorkPlace Experts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *